Adobe se torna membro da Linux Foundation

Publicado: 2 de abril de 2008 em GNU/LINUX

A Linux Foundation é um consórcio sem finalidades lucrativas dedicado a incentivar o crescimento do Linux. Nascida em 2007 a partir da fusão do Open Source Development Labs (OSDL) e o Free Standards Group (FSG), a organização patrocina o trabalho do criador do Linux, o finlandês Linus Torvalds, e recebe suporte financeiro de gigantes do mercado de TI internacional, como Fujitsu, HP, Hitachi, IBM, Intel, NEC, Novell, Oracle, AMD, Cisco, Motorola, Bull, EMC², Google etc. A fundação tem por função promover, proteger e padronizar o desenvolvimento do Linux, através do fornecimento dos recursos e serviços necessários para que sistemas de código aberto possam competir de igual para igual com soluções proprietárias similares.

A Adobe é o mais novo membro da Linux Foundation. Entre as atividades que a empresa deverá desenvolver como membro da organização, está especialmente o suporte ao desenvolvimento do sistema como plataforma para Rich Internet Applications (RIA) e tecnologias Web 2.0.

Jim Zemlin, diretor executivo da Linux Foundation, saudou a decisão da Adobe como um passo importante na direção de padrões mais abertos para o mercado de TI, além, claro, de considerar a iniciativa a porta de entrada da empresa para a eventual abertura de código de mais aplicações do seu portifólio. David McAllister, responsável por padrões e código aberto na Adobe, fez referência aos produtos da empresa que já existem em versão para Linux (o Flash e o recém lançado AIR). Ele descreveu a Linux Foundation como fonte importante de recursos para melhorar a compatibilidade dos produtos da Adobe com o Linux.

O ingresso oficial da Adobe na categoria de membro da Linux Foundation deverá ocorrer por ocasião da Collaboration Summit entre os dias 8 e 10 de abril, no Texas. Durante a conferência, diversas empresas do mercado Linux se reunem no intuito de melhorar a coordenação do seu trabalho conjunto em torno dos sistema do pingüim.

Em uma entrevista ao portal eWeek, o diretor de tecnologia da Adobe, Kevin Lynch, declarou que o suporte ao Linux como plataforma adicional de sistema operacional, bem como a abertura de código de software da Adobe, são um objetivo estratégico da empresa. Recentemente, a Adobe forneceu à Mozilla Foundation componentes essenciais da tecnologia Flash.

Fonte

comentários
  1. jeferson disse:

    Já dá pra notar que isso é mais do que uma estratégia, é uma tendência. Linux tende a ganhar cada vez mais espaço no mercado mundial e as empresas formadoras de padrões, como a adobe, não ficarão de fora. Prover melhor compatibilidade com linux garante que a adobe (mais necessariamente o flash) se garantam no topo, independente de plataforma.
    Vamos esperar agora por versões linux de seus produtos comerciais (claro q não espero q sejam gpl, mas se forem nativos pra linux fica bem mais prático q rodar via wine)

    Abraços
    http://www-linux.blogspot.com

  2. Nocyvo disse:

    com certeza eh uma estratégia
    lembrando q a MS lanço um concorrente ao flash
    agora resta saber c a mesma vai lançar uma versão pra linux

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s